Aprendizado STEM Education inclui Robótica e visa melhorar índices educacionais
  • Foto: Leandro Bonow                                                                                Investimentos podem ultrapassar R$ 100 milhões

    A melhoria do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) nos municípios da região motivou o Consórcio Público do Extremo Sul (Copes) e a Associação dos Municípios da Zona Sul (Azonasul) a acessarem um programa inédito, junto ao Ministério da Educação (MEC), para implantação do método STEM (sigla em inglês para Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática) como uma estratégia de incentivo ao aprendizado integrado. A reunião que anunciou a possibilidade e levantou dados das escolas e alunos da rede municipal de ensino da região ocorreu nesta quinta-feira (28), na sede da Azonasul, em Pelotas.

    Conforme o presidente da Azonasul, Favio Telis, prefeito de Jaguarão, a conquista desse projeto foi uma articulação junto ao Ministério da Educação que garantiu a região ser piloto na implantação da metodologia que incentiva a aprendizagem interdisciplinar, com foco na aplicação prática do aprendizado. Segundo Favio, a expectativa é de que o aluno carregue consigo a busca pela compreensão e pelo real impacto das disciplinas no mundo. “Um de nossos grandes objetivos com a busca desse novo modelo de ensino é preparar os estudantes de hoje para o mercado de trabalho do amanhã”, disse.

    O projeto aprovado pelo MEC conta com uma empresa licitada, através de ação do Copes, para a venda dos laboratórios (em dois modelos), um destinados aos alunos de 1º ao 5º ano e o outro para alunos do 6º ao 9º ano. Os valores de cada kit variam entre R$ 129 mil (com 144 itens) a R$ 220 mil (contendo 134 itens). A expectativa com o primeiro levantamento de dados é de que os investimentos ultrapassem R$ 100 milhões para implantação do projeto.

    PRAZOS – Ao detalhar tecnicamente o projeto, o secretário executivo do Copes, Daizon Stoquetti, confirmou a vinda de um técnico do MEC à região no dia 25 de janeiro para esclarecimentos finais e encaminhamento dos documentos necessários para a seleção e destinação dos laboratórios às escolas da zona sul. Segundo o local executivo, as Prefeituras não terão nenhum custo para adesão ao projeto. “Se tudo der certo, seremos exemplo para o resto do País, que buscará a nossa ata de registro de preço como norteador para a implantação do sistema em outras localidades”, complementou.

    Texto: Kariza Albuquerque / Imprensa Azonasul

    Edição: Leandro Bonow / Decom

EVENTOS
MARÇO 28

Qual vai ser?

O SICRED, em parceria com a Secretaria de

SABER MAIS